NOTÍCIAS

Lula enfrenta protestos em caravana pelo Estado do Rio

 06/12/2017, 07:14:56
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrentou protestos e percalços nesta terça-feira (5), segundo dia de sua caravana pelos Estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.
 
Com uma faixa com a inscrição "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", cerca de 200 apoiadores do deputado Jair Bolsonaro (PSC) fizeram uma manifestação nas escadarias da Câmara de Vereadores de Campos, diante da praça onde Lula deu início à visita ao Estado do Rio.
 
Foi a maior manifestação encarada por Lula desde o início de sua caravana, em agosto.
 
Os simpatizantes de Bolsonaro queimaram bandeiras e gritaram palavras de ordem. Entre os gritos, o nome de Brilhante Ustra.
 
Os organizadores do protesto, o engenheiro Vander Paulo Silveira Júnior e o administrador Carlos Víctor Carvalho (CVC), ambos de 29 anos, afirmaram que a intenção é levar Bolsonaro à cidade, onde garantem ter 7.000 adeptos em sua página na rede social. Sem filiação partidária, Vander pretende ingressar no partido militar.
 
Os dois contam já terem se reunido com Flávio Bolsonaro, filho do pré-candidato.
 
Do outro lado da rua, cerca de dois mil militantes assistiam ao discurso do ex-presidente. A PM não fez estimativa de participantes.
 
Do palanque, de onde se podia ouvir a vaia de manifestantes, Lula chamou a população do Rio de cordata, mas disse que o fluminense se sente traído pela classe política.
 
Ele contou ainda ter sido alertado por seus colaboradores sobre o ânimo do eleitor do Rio. Interlocutores do ex-presidente dizem que, advertido, Lula afirmou que não se entra no jogo apenas quando se está em vantagem.
 
"Se o povo está desacreditado, a gente tem que conversar seriamente com o povo", discursou.
 
Sem citar Bolsonaro, Lula lembrou que um pré-candidato defendeu a posse de fuzis para fazendeiros.
 
"Não vou dar fuzil para fazendeiro. Vou dar terra para trabalhador rural", discursou afirmou Lula.
 
Após o encerramento do ato, que consumiu menos de uma hora, apoiadores e opositores de Lula trocaram insultos na rua, contidos por um cordão da PM.
 
Esse não foi o único incidente na agenda do ex-presidente. Na chegada ao hotel em Campos, um hóspede o chamou de ladrão no hall. Aos gritos, sendo conduzido ao elevador por seguranças até o elevador.
 
Mais tarde, na saída do hotel, a caminho da praça, um grupo de jovens, com camisa do Senai, o aguardava na calçada.
 
Para ser levado ao ato, Lula dispensou o ônibus, símbolo da caravana, e optou por um carro de passeio.
 
A chuva também atrapalhou. Na parada programada na cidade de Iconha (ES), apenas cerca de 50 pessoas o aguardavam quando chegou, por volta das 15h.
 
O ex-presidente nem sequer subiu no carro de som para discursar, limitando-se a posar para selfies e abraçar simpatizantes.
 
Na parada seguinte, Cachoeiro de Itapemirim, divisa com Rio, a forte chuva prejudicou a passagem de bandeira das mãos do presidente do PT do Espírito Santo, João Coser, para o representante do Rio.
 
Apesar dos dissabores enfrentados no Rio, Lula avisou no palanque que se prepara para ir ao Paraná, sede da "República de Curitiba".
 
Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/lula-enfrenta-protestos-em-caravana-004900395.html

NOTÍCIAS